Uma janela aberta para o mundo


No desafio complexo da comunicação, este blogue pretende ser um observatório do quotidiano de uma aldeia do Barrocal Algarvio, inserida no coração da Serra do Caldeirão, acompanhando os ritmos e ciclos da vida em permanente transformação.
Mas também uma janela aberta para a Aldeia Global mediatizada com os seu prodígios e perplexidades.
São bem vind@s tod@s os visitantes que convidamos a deixar o seu contributo, enriquecendo este espaço de encontro(s) e de partilha com testemunhos, críticas e sugestões.OBRIGADO PELA SUA VISITA! SE TIVER GOSTO E DISPONIBILIDADE DEIXE O SEU COMENTÁRIO.

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

PASSAGEM DE ANO NA NAVE DO BARÃO

Este ano a ASSOCIAÇÃO "OS BARÕES" apostou num excelente duo musical e o novo ano promete começar com muita animação, em agradável ambiente familiar.
Tal como em anos anteriores as famílias juntam-se trazendo gastronomia para o último jantar de 2017, mas este ano vão ser encomendados leitões assados para quem desejar partilhar este pitéu.
A festa está aberta a sócios e não sócios que venham despedir-se do ano velho e receber em FESTA o NOVO ANO, que se espera promissor para todos nós.

domingo, 26 de novembro de 2017

OS BARÕES ORGANIZAM VISITA CULTURAL

No dia 8 de dezembro, a Associação "Os Barões" organiza um passeio cultural à Barragem do Alqueva, a Monsaraz a "Aldeia Monumento" vencedora do concurso das Sete Maravilhas de Portugal e o Pulo do Lobo, a impressionante cascata do Rio Guadiana.
O passeio realiza-se em autocarro cedido generosamente pela Câmara Municipal de Loulé, sendo por isso gratuito, prevendo um agradável passeio de barco na Barragem do Alqueva e um almoço em restaurante panorâmico. O preço do passeio fluvial e do almoço incluído será de 28 €.
Os interessados podem fazer ainda a inscrição no Café Barão ou na Associação "Os Barões" , restando apenas dez lugares livres. A partida da Sede Social dos Barões está prevista para as 7 horas e a chegada pelas 21h e 30m.
ITINERÁRIO
Partida da Nave do Barão – 7.00 h.
Paragem em Castro Verde – 8h. 15m.
(Pausa para café -20 m.)
Passagem por Beja e Portel
Chegada à Amieira – 10h. e 30m.
Passeio de cruzeiro – 11 h.
(Viagem de barco – 1 h.)
Almoço no Restaurante – 12h. 15m.
Partida para Monsaraz -13h.30 m.
Chegada a Monsaraz -14h 15 m.
Visita à Aldeia Monumento -30m.
Passagem por Moura e Serpa
Chegada ao Pulo do Lobo – 16h 30m.
(Contemplação da paisagem - 30m.)
Mértola – 18.00h.
(Visita a Mértola e lanche – 30 m.)
Passagem por Almodôvar
Chegada à Nave do Barão – 21.00 h.



sexta-feira, 3 de novembro de 2017

ANTÓNIO ALEIXO VAI VOLTAR À NAVE DO BARÃO

Segundo os mais antigos António Aleixo vinha à Nave do Barão fazer RÉCITAS no Salão do lavrador Valente (o homem mais rico da aldeia) e toda a aldeia se juntava ao serão para ouvir o grande poeta popular António Aleixo, que como todos sabemos teve uma vida muito difícil. Segundo estas fontes orais, o poeta pernoitava e no dia seguinte voltava a Loulé, levado em carro de besta carregado com oferendas dos agricultores, que pagavam o "cachet" com grãos, feijão, favas, batatas, figos secos, farinha de trigo e de milho. 
Evocando estas memórias, decidiu a Associação "Os Barões" realizar uma RÉCITA, no dia em que faz 68 anos da morte de António Aleixo, quando tinha apenas meio século de existência. 
António Aleixo , vida e obra em serão cultural para amantes da mágica linguagem da poesia.

domingo, 29 de outubro de 2017

O REINO DO ALGARVE AINDA EXISTE?

COMO SURGIU O REINO DO ALGARVE?
Visitando a História de Portugal e do Algarve sabemos que Algarve, outrora Al-Gharb do Al-Andaluz,  no tempo dos muçulmanos ia até Coimbra e incluía também a Andaluzia espanhola, cuja capital desse reino islâmico era Silves (Xilb).Era um reino com grande desenvolvimento cultural, agrícola e económico sob gestão muçulmana durante cinco séculos, entre 711 e 1245.
D. Sancho I conquistou Silves em 1185 e proclamou-se rei de Portugal e do Algarve, mas os árabes reconquistaram de novo a capital do seu reino em 1191.
Foi mais tarde Afonso III que, aproveitando a ofensiva do Rei de Leão para conquistar  Sevilha, desencadeou uma incursão a sul em 1249, conquistando praças fortes no Algarve.
Mas o Rei de Leão e Castela, considerava-se também Rei do Algarve o que levou o arguto rei português a casar com a filha de Afonso X,  D. Beatriz de Castro em 1253, (apesar de ser casado com D. Beatriz de Bolonha) e pelo Tratado de Badajoz em 1267, concedeu a D. Dinis, seu neto o Trono do Algarve. D. Dinis, o rei poeta, com grande visão estratégica sobre o desenvolvimento do país, promoveu a exportação dos frutos secos e dos vinhos do Algarve para a Bélgica e Inglaterra.










   

PORQUE APARECEM REIS MOUROS E CRISTÃOS NO BRASÃO DO ALGARVE E DAS CIDADES DO ALGARVE?
A ideia muito difundida por alguns historiadores e pelo Estado Novo, de que a conquista do Algarve foi fruto de bravas conquistas, com muita carnificina e banhos de sangue, é claramente exagerada.
D. Afonso III conquistou o Algarve mas estabeleceu com os mouros um acordo que lhes permitia, caso desejassem abandonar a região levar os seus bens, assegurando aos que ficassem serem tratados com honra e dignidade, podendo ficar com as suas casas, o seu património e continuar a desenvolver as suas atividades agrícolas, económicas e religiosas. Para celebrar este acordo foram colocados no Brasão do Algarve e de todas as cidades algarvias, a imagem do rei cristão ao lado do rei muçulmano, que ainda hoje perduram como símbolos dessa pacífica convivência entre duas religiões e duas culturas diferentes.
Assim se percebe melhor que a influência da cultura árabe na província algarvia que se perpetuou até aos nossos dias, sendo particularmente visível na arquitetura.

O REINO DO ALGARVE DE AQUÉM E DE ALÉM MAR
O prolongamento do Reino do Algarve para África deu-se com a conquista de Ceuta em 1415, passando então o Rei Afonso V a ter o título de Rei de Portugal e dos Algarves D'Aquém e de Além Mar, passando o Algarve atual a ser a parte de cá e as zonas conquistadas ou descobertas a parte de além.
Nesta lógica a Madeira, os Açores e as terras conquistadas em África passaram a fazer parte do Reino dos Algarves e foram muitos os algarvios que povoaram estes arquipélago, participaram nas conquistas no norte de África e na aventura dos Descobrimentos.
No reinado de D. José I, por influência de Marquês de Pombal foi extinto o Reino do Algarve mas a sua filha D. Maria I , como aconteceu com outras inovações do Marquês, reverteu essa medida passando a restaurar o Reino do Algarve.
Durante as lutas entre liberais e absolutistas o Rei D.Miguel I nomeou o Remexido, Joaquim José de Sousa Reis,como Governador do Reino do Algarve e este guerrilheiro, mesmo depois de terminada a guerra fraticida continuou a sua atividade na Serra Algarvia, tendo sido derrotado, julgado e fuzilado em Faro em 1838, não tendo sido respeitado o indulto da rainha para lhe comutar a pena.
Com a revolta republicana de 1910 foi formalmente extinto o Reino de Portugal com a proclamação da República Portuguesa, mas não foi extinto o Reino do Algarve, por isso numa deriva independentista poderemos vir a proclamar a  República do Algarve.




sábado, 21 de outubro de 2017

MEMÓRIA, HISTÓRIA E IDENTIDADE(S) NA NAVE DO BARÃO

Foi criado um grupo de trabalho que está a recolher registos escritos, testemunhos orais, fotografias  e elementos sobre a história da Nave do Barão, que virá a dar lugar à edição de um livro que pretende preservar memória, escrever a história e revelar traços identitários desta aldeia situada no coração do Algarve Central. 
A equipa conta neste momento com dezena e meia de aderentes, que tendo em conta os interesses e motivações de cada um dos protagonistas, vai reunindo um fundo documental com poesia popular, gastronomia local, mezinhas e benzeduras, tradições e relatos orais, iconografia e apontamentos diversos.
Trata-se de uma obra coletiva onde todos os que quiserem colaborar são bem vindos. E a colaboração pode ser simplesmente a cedência temporária para digitalização de fotografias antigas, recordações ou apontamentos de memórias orais, tradições, hábitos usos e costumes, elementos recolhidos sobre o passado próximo ou distante,...Os interessados neste percurso cooperativo de investigação, podem manifestar a sua disponibilidade junto destes novos argonautas que querem viajar no espaço-tempo para eternizar no papel estórias, memórias e identidades da Nave do Barão.
Foto cedida pela Maria Dias, tirada em frente da Venda do Tio Pires

Foto cedida pela Júlia Pies de uma classe com a professora primária.

O Grupo de Trabalho é composto neste momento pelo Alex Morgan, Angelina Guerreiro, Elisabete Luz, Fernanda Serra, Carlos Graça, Cátia Gomes, João Graça, Joaquim António, José Graça, Júlia Pires, Madalena Batista, Maria Dias, Nuno Sacramento, Sérgio Guerreiro e Sónia Morgan. 

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

ENCONTRO DE MEMÓRIAS VIVAS NA NAVE DO BARÃO

Qual é a ideia deste encontro de memórias vivas? 
Juntar num lanche homens e mulheres com raízes na Nave do Barão,( alguns já internados em lares ou em casa dos filhos e familiares), para poderem conviver e sobretudo partilhar memórias passadas da aldeia onde nasceram e/ou viveram. Os testemunhos destas pessoas (fontes primárias preciosas) associados às histórias de vida destes protagonistas, serão gravados e parcialmente integrados no livro sobre a Nave do Barão, que está na fase de elaboração por um grupo de trabalho constituído para o efeito, que neste momento envolve 12 membros mas serão bem vindas outras colaborações.
Pedimos a colaboração dos familiares e amigos para o transporte de ida e volta de algumas destas pessoas, sobretudo as que residem fora da Nave do Barão.
Prevê-se que este encontro decorra entre as 16h e as 18 h mas se os participantes neste ENCONTRO DE MEMÓRIAS VIVAS tiverem gosto e condições físicas para participar no almoço ou/e no resto do programa serão naturalmente bem vindos. 

domingo, 8 de outubro de 2017

São Martinho na Nave do Barão

Como diz o dito popular "Pelo S. Martinho vai à adega, prova o vinho e mata o porquinho" mas na Nave do Barão acrescentou-se ao provérbio " depois vai um fadinho".
No dia 11 de novembro pela Associação "Os Barões", tem o habitual almoço com gastronomia da matança do porco (mas sem os lancinantes grunhidos do pobre porco).
O programa deste ano inclui também o festejo do Aniversário da Associação e uma Noite de Fados com um bom elenco de fadistas. Aproveitando esta data festiva haverá também um encontro de anciãos e anciãs que irão desfiar memórias antigas da Nave do Barão.
As inscrições para o almoço podem ser feitas no Café Barão e na sede da Associação ou pelo telefone  do Joaquim António 962638117.

terça-feira, 3 de outubro de 2017

RESULTADOS DAS AUTÁRQUICAS EM SALIR E LOULÉ

Os eleitores foram chamados a votar para eleger os novos autarcas mas apesar dos apelos do Presidente da República a abstenção voltou a subir em Loulé que atingiu a média de 55, 4 % em todo o concelho mas foi apenas de 37,49% em Salir.
Os resultados foram os seguintes:

CÂMARA MUNICIPAL DE LOULÉ                       vereadores
PS                                  17 573 votos                          7      
PSD/CDS/MPT               6392  votos                          2
CDU                                  771 votos                           0
BE                                      758 votos                          0

Eleito Presidente Vitor Aleixo (PS) que dará início ao segundo mandato.

ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE LOULÉ               deputados municipais

PS                                      15 743 votos                      18      
PSD/CDS/MPT                   7  168 votos                       8 
BE                                             974 votos                     1
CDU                                         847 votos                      0

Será previsível a eleição de Adriano Pimpão (PS), tal como no anterior mandato.

ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE SALIR          Membros da Assembleia

PSD/CDS/MPT                   644  votos                     4
PS                                        562 votos                      4     
CDU                                    136  votos                     1                    
BE                                          80 votos                      0        

Presidente da Junta de Freguesia  Deodato João (PSD)

É provável que seja reeditada a aliança entre o PSD e a CDU que governa Salir há dois mandatos.       




domingo, 1 de outubro de 2017

UM CASO RARO DE VONTADE CÍVICA

Hoje de manhã, dia de decidir o futuro das nossas cidades, vilas e aldeias, aconteceu uma situação singular que devo partilhar convosco.
Fui levar a Salir uma jovem candidata da Nave do Barão, que estava decidida ir a pé porque o seu carro resolveu boicotar o acto eleitoral e avariou.
No regresso encontrei um velhote de boné, junto ao Lar de Salir, que me abordou pediu boleia para ir votar à Tôr, Perante esta forte determinação cívica alterei a minha rota e fui até à Junta de Freguesia da Tôr e o sr. Baltazar foi revelando o partido onde ia votar.
Lá chegados o cidadão persistente foi informado que a sua residência oficial não era na Tôr mas em Algoz, porque a filha teria tratado recentemente do Cartão de Cidadão, colocando como residência do pai a sua própria residência.
Desanimado voltou ao lar e pedi para falar com a filha para lhe pedir colaboração no transporte do pai para exercer o seu direito e dever eleitoral.
A filha disse que não tinha carta de condução e tinha o dia ocupado com a mudança de casa e tinha hoje mesmo que deixar livre de mobílias a casa onde morava e fazer a transferência para a nova casa, Perante este contratempo o nosso protagonista chorou e indignou-se por não poder votar no partido a quem sempre foi fiel.
A senhora secretária do lar que nos recebeu foi muito diligente e comprometeu-se a intervir junto da filha para que se processe a mudança de residência do sr. Baltazar para Salir, de forma a ser possível o exercício deste direito conquistado nesse dia mágico de Abril.
Este é um caso muito curioso, que contrasta com o comportamento abstencionista de muitos dos nossos concidadãos e deve desafiar a nossa reflexão. O que poderemos fazer para criar condições de exercício de voto em situações semelhantes. Neste tempo complexo de tanta tecnologia disponível para quando implementar a votação electrónica em Portugal?

domingo, 10 de setembro de 2017

VINHO ARTESANAL -PARTILHA DE BOAS PRÁTICAS

MÁGICA ALQUIMIA VINÍCOLA
Na próxima quarta feira vamos terminar a formação vitivinícola artesanal, em Querença na Fundação Manuel Viegas Guerreiro. A sessão é dedicada às boas práticas de produção do precioso néctar e é aberta a todos os interessados, mesmo que não tenham frequentado as sessões anteriores.Vamos provar alguns dos vinhos produzidos recentemente apesar de sabermos que ainda não estão apurados. Seja bem vindo quem vier por vino

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

A PAIXÃO PELA VITIVINICULTURA

Não passou na comunicação social que nos dias 30 e 31 de agosto decorreu a formação em Vitivinicultura Artesanal,( um projeto de cooperação entre a Associação IN LOCO e a Associação "Os Barões"), que contou com a presença de duas dezenas de participantes, incluindo no programa as visitas à Quinta Rosa em Silves e à Adega Quinta da Tor, onde provámos os deliciosos néctares e fomos recebidos com muita simpatia.
Em Alte, no Polo Museológico, o presidente da Comissão Vitivinícola do Algarve fez uma interessante viagem ao mundo dos vinhos do Algarve, que têm conquistado crescente prestígio nacional e internacional. Na Associação "Os Barões" o formador Jorge Ferreira foi simplesmente deslumbrante, com a sua imensa sabedoria e abordagem da viticultura biológica.
Estes dois dias de formação foram momentos fortes de aprendizagem, de partilha que integraram também almoços-convívio no Restaurante Folclore e na Associação "Os Barões".
O ciclo formativo termina no dia 13 de setembro no Auditório da Fundação Manuel Viegas Guerreiro, em Querença, com uma sessão que terá início às 15 horas e será dedicada às boas práticas na produção do vinho. A sessão será também aberta à participação de quem quiser saber mais sobre esta paixão histórica com a mágica alquimia dos vinhos algarvios.Se está interessado não se esqueça de colocar na agenda.
Na Quinta Rosa em Silves

Na Nave do Barão

Prova de vinhos biológicos

Na Quinta da Tor

Ouvindo o homem que teve um sonho ...
Almoço em Alte

Na prova do fantático Touriga Nacional

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

In Memoriam de Luís Guerreiro


IN MEMORIAM DE LUÍS GUERREIRO
Não jogámos ao berlinde e à baneca
Nem as aventuras do tempo de crescer.
Conheci-te já maduro, sonhador
Na utopia de um país diferente
Com Nóvoa em Presidente.
Descobri essa tua lonjura
Esse jeito singular de ser
De estar e partilhar saber
Nesta luta sempre inacabada
De fazer emergir um tempo novo
Inventando futuro todos os dias.
     Nesta precoce e dolorosa partida
     Mágoa, vazio e inquietação…
Partiste tão cedo meu amigo…
Nesse lugar incerto e improvável
Que povoa pensamentos fecundos
De crentes no celestial destino,
Vejo-te no etéreo jardim sensorial
Desfiando livros e memórias
Nessa incessante procura
Para descobrir e semear cultura
E construir identidades…
Nos registos sonoros
Dessa tua dolorosa despedida
     Entre cânticos de cigarras
     E estridentes aleluias
     A multidão comovida
     Lamentava, desabafava
     “Já levaram o nosso Luís”
     “ Um homem cinco estrelas”
     “ Nunca ouvimos dizer mal dele”
     “ Tinha uma memória fantástica”
     “Um homem excecional”
     “ que iremos reencontrar na casa do Pai”
     Adeus Luís…até sempre…
     Um abraço terreno
     Joaquim Sarmento

     

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Formação sobre vinho artesanal na Nave do Barão

Na sequência do III Festival do Vinho a Associação "Os Barões" promove em cooperação com a Associação In loco uma ação de formação sobre a Produção Artesanal do Vinho, aberta à participação de tod@s os que quiserem aprender e partilhar saberes em vitivinicultura. As inscrições são gratuitas e estão previstas visitas a duas conceituadas adegas da região e a uma vinha de um produtor da Nave do Barão.
O calendário prevê dois dias de formação nos dias 30 e 31 de Agosto, antes das vindimas e termina no dia 13 de Setembro, após a produção dos vinhos, para que os produtores possam falar da produção deste ano, numa perspectiva de formação cooperada.
Se tem gosto em saber mais e participar neste programa formativo pode fazer a sua inscrição para os mail indicados no cartaz ou pelos telefones 969987158 (In Loco) ou para 962638117 (Ass. Barões).
A seguir publicamos o programa provisório e ficamos a aguardar as sua inscrições.
1º Dia
30 de Agosto- Quarta Feira
Manhã
10h-13h
Apresentação da CVA ( Enquadramento histórico e técnico do setor na região) 
Apresentação da IVV (Inscrições no Setor Vitivinícola) 
Apresentação de boas práticas na produção de vinho (enólogos, escanção)
Provas
Oradores: CVA e IVV
Local: Pólo Museológico de Alte 

Tarde
15h - 17h
Visita à Quinta Rosa (Silves)

2º Dia - Quinta Feira
31 de Agosto
Manhã
10h-13h
"Microproduções Locais e Boas Práticas na Vinha”
Sessão Teórica - Fertilização e Tratamentos Fitosanitários
Formador: Jorge Ferreira
Local: Nave do Barão (sala da associação "Os Barões")
De tarde está prevista a visita a uma vinha próxima do local da sessão.

3º Dia
13 de Setembro- Quarta Feira
Tarde
14:30-17:30h
Instalação da Vinha (DRAPALG)
Licenciamento da Adega (Actividade "Produção de Vinho") (DRAPALG e CML)
Local: Sala Da Junta de Freguesia da Tôr


sexta-feira, 21 de julho de 2017

RALI PAPER 2017

O Rali Paper na Nave do Barão continua a ser uma experiência divertida de descoberta da região, contou mais uma vez com a paciência e a perspicácia de Carlos Graça que organizou meticulosamente os percursos que os 36 participantes percorreram com muito entusiasmo e olho vivo.
A chegada, como de costume, foi um momento de animação interessante ....













quarta-feira, 12 de julho de 2017

FESTA DE VERÃO NA NAVE DO BARÃO -A não perder este fim de semana




PROGRAMA

DIA 15
Pelas 16 horas
Inauguração da exposição de pintura com artistas plásticos da Nave do Barão
Abertura da Quermesse
Jogos Tradicionais Populares
Jantar com gastronomia tradicional
Entrega de prémios dos Jogos Tradicionais
Baile animado pelo Acordeonista baronense Fernando Inês, 
DIA 16
Pelas 16 horas
Partida para o RALI PAPER- À de descoberta da região
Jantar-Convívio 
Entrega de prémios do Rali Paper
Serão com o Rancho Folclórico Etnográfico da Serra do Caldeirão

OS PRÉMIOS DOS JOGOS SÃO TENTADORES
JOGOS TRADICIONAIS
Um bacalhau grande para o 1º prémio do Jogo do Bicho, das Setas e do Burro.
RALI PAPER
1º Prémio- Safari para grupo com almoço –oferta STRESSAWAY
2º Prémio – Carro para fim de semana – oferta VISACAR
3º Prémio – Aventura na Rocha da Pena, com lanche – oferta Morgan’s Nature Walks
4º Prémio – Lugar em excursão promovida pelos Passeios da Malta
5º Prémio – Refeição para dois no restaurante Porto Doce
6º Prémio – Refeição  para dois na Churrasqueira papagaio Dourado
7º Prémio – Refeição para dois no restaurante Regresso
Troféus para todos os grupos participantes e sorteio de um galo por todos os concorrentes.
A inscrição no Rali dá direito T’Shirt e acesso ao jantar-convívio

OS PRÉMIOS DOS JOGOS SÃO TENTADORES
JOGOS TRADICIONAIS
Um bacalhau grande para o 1º prémio do Jogo do Bicho, das Setas e do Burro.
RALI PAPER
1º Prémio- Safari para grupo com almoço –oferta STRESSAWAY
2º Prémio – Carro para fim de semana – oferta VISACAR
3º Prémio – Aventura na Rocha da Pena, com lanche – oferta Morgan’s Nature Walks
4º Prémio – Lugar em excursão promovida pelos Passeios da Malta
5º Prémio – Refeição para dois no restaurante Porto Doce
6º Prémio – Refeição  para dois na Churrasqueira Papagaio Dourado
7º Prémio – Refeição para dois no restaurante Regresso
Troféus para todos os grupos participantes e sorteio de um galo por todos os concorrentes.
A inscrição no Rali dá direito T’Shirt e acesso ao jantar-convívio


domingo, 2 de julho de 2017

A TRAGÉDIA DE PEDRÓGÃO E A CULPA DO EUCALIPTO


Está lançado o debate sobre se sim ou não ao eucalipto e a sua relação com o alastrar dos incêndios no nosso país.
A propósito deste debate o Bloco de Esquerda assumiu um papel muito ativo no combate à expansão do eucalipto e Passos Coelho, que liberalizou o plantio desta árvore oriunda da Austrália, defende a sua dama e terá afirmado que é a árvore que menos arde.
Neste combate Francisco Louçã escreveu um artigo de opinião diabolizando o eucalipto e José Manuel Fernandes apressou-se a contestar o texto de Louçã e a assumir a defesa do eucalipto.
Para dar o meu singelo contributo sobre este assunto fiz algumas pesquisas e publico algumas notícias publicadas na comunicação social, deixando ao leitor o seu juízo crítico sobre esta importante problemática, que irá determinar o futuro da nossa floresta.
"O presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, afirmou na quarta-feira à noite que, ao contrário do que se diz, o problema dos incêndios não se vai resolver com uma reforma florestal que acabe com o eucalipto."
'Árvore de gasolina'
O plantio em larga escala do eucalipto é criticado por ambientalistas, que apontam contribuição à destruição de recursos hídricos - o que alimenta a erosão - e ao desaparecimento da fauna, já que poucos animais conseguem se alimentar de suas folhas.
Além disso, o seu poder de gerar e propagar incêndios levou a espécie a receber o apelido de "árvore de gasolina".
"Um dos principais problemas do eucalipto é que ele arde muito rápido e é muito resistente ao fogo. Ele continua a sobreviver durante o incêndio e graças ao calor a sua casca se solta do tronco, se transformando em condutor das chamas", explica Camargo.
in BBC


Uma mancha verde destaca-se da paisagem negra envolvente, que retrata a violência do incêndio. "A única coisa que não ardeu foram os carvalhos, os castanheiros, oliveiras e sabugueiros", in jornal de notícias
os moradores da aldeia de xisto de Ferraria de São João, no concelho de Penela, decidiram, em assembleia, avançar com uma zona de proteção da povoação, arrancando eucaliptos e plantando árvores mais resistentes aos fogos.
A moção da assembleia de moradores foi aprovada por unanimidade no domingo e prevê a criação de uma zona de proteção de pelo menos 100 metros à volta da Ferraria de São João, aldeia com cerca de 40 habitantes que já fica no distrito de Coimbra, mas que acabou cercada pelo incêndio que deflagrou em Pedrógão Grande e que provocou 64 mortos, contou à agência Lusa o presidente da associação de moradores, Pedro Pedrosa.
In agência LUSA
• Vidoeiros, carvalhos e castanheiros, as “árvores bombeiras” que podem travar fogos
In agência LUSA
Portugal é hoje provavelmente o país com maior área de eucaliptal plantado em toda a Europa. Não falamos em termos relativos, mas em termos absolutos de área plantada. Portugal, o pequeno jardim à beira-mar plantado, tem a maior área de eucalipto plantado de todo o continente.
In Visão
Os eurodeputados do PSD pediram hoje que seja debatida com urgência no Parlamento Europeu (PE) a coordenação da União Europeia no que diz respeito à prevenção de catástrofes naturais, coordenação no âmbito da proteção civil e combate a incêndios.
In Diário de Notícias
Pedrógão Grande
No chamado pinhal interior quase só havia eucaliptos para arder
In Jornal de Notícias

sexta-feira, 30 de junho de 2017

VINHOS DO ALGARVE E DE PORTUGAL ENTRE OS MELHORES DO MUNDO

O “Citadelles du Vin” é um prestigiado concurso anual que está na 17ª edição e decorreu em Bordéus, França, entre 10 a 12 de junho, durante a Vinexpo, onde estiveram em competição cerca de 1.200 vinhos oriundos de 30 países.
Segundo informou a Comissão Vitivinícola do Algarve, na edição deste ano do Citadelles du Vin, Portugal foi o país mais galardoado obtendo um total de 84 medalhas, das quais 50 de ouro e 34 de prata.
O vinho “Portas da Luz, Tinto 2016”, produzido pela Casa Santos Lima na Luz de Tavira, arrecadou o título de Portugal Special Prize – o equivalente ao melhor vinho português em concurso.
Para o presidente da Comissão Vitivinícola do Algarve, Carlos Gracias, “temos mais uma vez um vinho regional do Algarve, entre os melhores do mundo. Esta só pode ser a confirmação da qualidade e maturidade que os “Vinhos do Algarve” têm vindo a demonstrar”.
Carlos Gracias, aproveitou para endereçar os parabéns à equipa da Casa Santos Lima, proferindo algumas palavras de incentivo a todos os produtores do Algarve, no sentido de “continuarem a realizar um bom trabalho nas vinhas, nas adegas e na afirmação da região, como uma das melhores para a produção de vinhos de qualidade”.
A Casa Santos Lima é uma empresa que produz vinhos de outras regiões, tendo nos últimos anos feito uma aposta na região do Algarve, com diversas vinhas, sobretudo na zona de Tavira, onde recentemente tem uma nova vinha em fase de crescimento, o que irá possibilitar um aumento da produção aliada à qualidade de novos vinhos do Algarve, acrescenta ainda a Comissão Vitivinícola do Algarve.

quarta-feira, 21 de junho de 2017

SUA EXCELÊNCIA O VERÃO CHEGOU - Bem vindos ao solstício de Verão

SOLSTÍCIO DE VERÃO
O solstício de Verão começou hoje, dia 21 de Junho de 2017, às 04h 24m.
O termo (“solstitium”, em latim) foi construído com base nos elementos “sol” e “stit”, este derivado de “sistere”, que significa imóvel, que não mexe. A palavra surgiu, assim, associada à ideia de que, no céu, o Sol devia estar estacionário ao atingir a sua posição mais alta, no Verão, e mais baixa, no Inverno.
Solstício é, pois, o momento do ano em que o Sol, durante seu movimento apar
ente na eclíptica, atinge a maior declinação em latitude, medida a partir da linha do equador.
Os solstícios ocorrem duas vezes por ano: em 21 de Junho e em 21 de Dezembro. No de verão assiste-se , ao dia mais longo do ano e, consequentemente, à noite mais curta.
Os trópicos de Câncer (à latitude de 23º 27’ Norte) e de Capricórnio (à latitude de 23º 27’ Sul) são definidos em função dos solstícios. No solstício de Verão do hemisfério norte, os raios solares incidem perpendicularmente à superfície da Terra no Trópico de Câncer. No solstício de Verão do hemisfério sul passa-se o mesmo no Trópico de Capricórnio.
Nota;
Eclíptica - plano da órbita da Terra em torno do Sol. O termo radica no grego “ekleiptikós”, sujeito a eclipse.
Declinação do Sol - é a distância angular do Equador ao paralelo do astro

                              texto do professor Galopim de Carvalho publicado dia 21 de junho no facebook

domingo, 18 de junho de 2017

O FOGO E A MORTE VESTEM DE LUTO PEDRÓGÃO E PORTUGAL

Uma improvável  trovoada seca ateou o fogo em Pedrogão e duas dezenas de pessoas tiveram uma morte horrível. Podia ter sido qualquer um de nós ou nossos familiares... Agora é tempo de luto e de solidariedade para com quem perdeu familiares e haveres... mas a segui precisamos de perceber porque falhou a Proteção Civil e o que fazer para evitar novas tragédias.
A morte é sempre dramática para quem parte e para quem fica e torna-se ainda mais horrível nestas circunstâncias, com a perda de tantas vidas que tinham tanto para viver e partilhar num futuro por inventar.

Deixo-vos com a reflexão do sábio Rei Salomão, no livro de Eclesiastes capitulo 3 para meditarmos:
Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu. Há tempo de nascer, e tempo de morrer; tempo de plantar, e tempo de arrancar o que se plantou; Tempo de matar, e tempo de curar; tempo de derrubar, e tempo de edificar; Tempo de chorar, e tempo de rir; tempo de prantear, e tempo de dançar; Tempo de espalhar pedras, e tempo de ajuntar pedras; tempo de abraçar, e tempo de afastar-se de abraçar; Tempo de buscar, e tempo de perder; tempo de guardar, e tempo de lançar fora; Tempo de rasgar, e tempo de coser; tempo de estar calado, e tempo de falar; Tempo de amar, e tempo de odiar; tempo de guerra, e tempo de paz. (Eclesiastes 3:1-8)

sábado, 10 de junho de 2017

SAUDADE DE SER AMADO

Alma minha gentil,que te partiste
Tão cedo desta vida,descontente,
Repousa lá no Céu eternamente
E viva eu cá na terra sempre triste.


Se lá no assento etéreo,onde subiste
Memória desta vida se consente,
Não te esqueças daquele amor ardente
Que já nos olhos meus tão puro viste.


E se vires que pode merecer-te
Alguma cousa a dor a dor que me ficou
Da mágoa,sem remédio,de perder-te.


Roga a Deus, que teus anos encurtou,
Que tão cedo de cá me leve a ver-te,
Quão cedo de meus olhos te levou.

Luís de Camões